Nesse dia 25/05/2017 a FUEP completa 49 anos de existência

Por

Saravá FUEP! Saravá Umbanda!

A Federação Umbandista do Estado do Paraná é a mais antiga federação ainda em atividade em nosso estado, e para que todos (as) os (as) atuais Umbandistas conheçam um pouco da história, apresenta-se abaixo um breve histórico.

A FUEP foi fundada em 25/05/1968, naquele momento vivia-se no Brasil a ditadura militar e logo em seguida em dezembro seria baixado o famigerado Ato Institucional nº 5, AI-5, no governo do general Costa e Silva, iniciava-se o período mais duro mas em contrapartida também era momento de grandes mobilizações estudantis, com o lema “é proibido proibir”.

As questões inerentes à liberdade religiosa foram tratadas nas constituições federais de 1934, que manteve a mesma linha da Carta Constitucional de 1981, seguida da Constituição de 1937, que que continuava vinculada à “ordem pública e aos bons costumes”, exceto pelo fato de passar a pertencer ao direito comum. Dessa forma, os Terreiros de Umbanda eram tratados pela lei maior do nosso país identicamente a prostíbulos, bares e casas de diversão.

Na sequência, não houveram novidades nas Constituições Federais de 1946, 1967 e
1969, tendo em vista que todas elas continuaram subordinando a liberdade religiosa à ordem pública e aos bons costumes. Ou seja, só funcionavam se tivesse autorização da Delegacia de Polícia, que cuidava de Costumes, Jogos e Diversões…

Nessa conjuntura desfavorável a Umbanda crescia e sentiu-se a necessidade de uma instituição que pudesse carrear as preocupações e demandas dos Umbandistas, tendo sido fundada a FUEP com a participação dos dirigentes de quatro templos da época:

Templo Espiritualista Caboclo de Iansã – Dirigente Luiz Scheffer,
Tenda Espírita Ogum Megê – Dirigente Osvaldo Batista Meirelles,
Tenda Espírita São Cipriano – Dirigente Melquíades Santana,
Cabana Espírita Cacique Jaraguá – Dirigente Eunice Silva dos Santos.

Ao que consta, a única dirigente dessa época que continua encarnada é a Mãe Eunice, embora não tenha mais casa aberta, a quem rendemos a nossa mais profunda homenagem.

O presidente da 1ª. Diretoria executiva da FUEP, foi o senhor João Mendes dos Santos, que acabou sendo reeleito nos anos de 1986, 1993, 1997 e 2005, e após o seu falecimento, a FUEP passou por um período de certo abandono.

Entretanto, sob a sua administração aconteceram alguns momentos de muita participação que redundaram no reconhecimento legal da federação.

Assim foram obtidos os títulos de Utilidade Pública Municipal em Curitiba através da Lei Nº 6.833 de 09 de abril de 1986 e Utilidade Pública Estadual através da Lei Nº 8.515 de 30 de junho de 1987.

Foi organizado o 1° Congresso Umbandista da FUEP em 31/12/1998, que contou com a seguinte comissão organizadora: Cabana Espírita Cacique Jaraguá, Centro Espiritualista Ogum-Megê, Templo Espiritualista Caboclo de Iansã, Tenda Espírita São Cipriano, Ana Lobo, Antônio Joaquim Cordeiro Gomes, Nicolau Serrato Filho, Alberto Satler, João Batista dos Santos, Francisco A. Santos, Abrão José Luiz Scheffer, Osvaldo Batista Meirelles, Eunice Silva dos Santos, Melquíades R. Santana, Vanda Meirelles, Maria Scheffer, Oscar Ribas.

No âmbito federal, graças à Constituição Federal, que entrou em vigor no dia 05 de outubro de 1988, ampliou-se o instituto jurídico da liberdade religiosa, deixou-se de exigir explicitamente que esta esteja condicionada à ordem pública e aos bons costumes, uma vez que, é inerente a todo culto religioso a ordem pública e os bons costumes. E dessa forma, chega-se ao momento da mais ampla liberdade religiosa no nosso país, embora na prática exista um distanciamento muito grande com relação a legislação em vigência.

Em 2004, muito em função da mobilização em torno do documentário “Para ver a Umbanda passar”, os Umbandistas, de modo precursor em todo o Brasil, conseguem aprovar na Câmara dos Vereadores de Curitiba, a oficialização do dia 15 de novembro, como o “Dia da Umbanda” no âmbito municipal.

Em 2008 no dia 15/11, é realizada a comemoração dos 100 anos da Umbanda na Ópera de Arame, em Curitiba e ainda nesse ano, também, a Assembleia Legislativa do Estado do Paraná, oficializa o dia 15 de novembro, como o “Dia da Umbanda e do Umbandista” no âmbito estadual.

A experiências de mobilização dos Umbandistas para a festa do centenário e para a aprovação do projeto da ALEP, reacendeu a necessidade de uma entidade que pudesse canalizar as demandas políticas dos Umbandistas do nosso estado e por uma conjunção de fatores positivos, foi realizada a reativação da FUEP em assembleia geral realizada no dia 22/03/2009.

Nessa data, foi aprovada uma Reforma Estatutária, e a eleição da Diretoria Executiva e Conselhos Deliberativo e Fiscal para o mandato de 2009 a 2013. Nessa eleição, tivemos a participação de Umbandistas e dos dirigentes do Terreiros abaixo listados que indicaram representantes para a composição da direção:

Terreiro de Umbanda Pai Maneco, dirigente Pai Fernando Guimarães que indicou a senhora Carolina Martins Pinto Rodrigo, para representá-lo na direção;
Terreiro Pai Mathias – Tenda de Umbanda Grande Luz, Pai Alceu de Miranda Junior;
Terreiro de Umbanda Filhos de Pemba, Pai Claúdio Carlos Lino;
Tenda de Umbanda Cigana Soraya, Mãe Ana Maria Ribeiro Picheth;
Terreiro de Umbanda Tio Antônio, Pai André Luiz de Azevedo Moraes;
Cabana do Pai Tobias de Guiné, Pai Antônio Caetano de Paula;
Centro de Desenvolvimento e Caridade Caboclo Arruda “Flores de Iemanjá“, Pai Edward James Harrison;
Templo Espiritualista Sol e Esperança, Mãe Magali Pasqual Okazaki;
Tenda Espírita São Jorge Guerreiro, Mãe Mara Lucia Cataplan de Souza;
ASSEMA, Pai Marco Aurélio Gomes Boeing;
Tenda Amigos da Umbanda, Mãe Nelma Regina Cangussú;
Terreiro de Umbanda Caboclo Pena Verde, Mãe Ignez Jorgensen; e a
Tenda da Luz Divina, Pai Ricardo Mendes da Silveira.

Para o cargo de presidente da Diretoria Executiva, gestão 2009- 2013, foi eleito o senhor Paulo Tharcicio Motta Vieira, o Paulão, que viria a ser reeleito para um novo mandato.

Nesses dois mandatos o que se viu foram momentos de grande mobilização, quando foram realizados 5 festivais de curimbas (pela primeira vez levou-se a Umbanda para o palco do Guairão) e iniciou-se a participação do nosso estado do Prêmio Atabaque de Ouro no RJ, além de inúmeros seminários, palestras e reuniões.
Entretanto, houve também períodos de baixa atividade, notadamente pelo abandono de dirigentes, que em vista das suas ocupações pessoais, profissionais e litúrgicas acabaram por afastar-se da diretoria da federação.

No plano nacional, o dia 15 de novembro foi definido como o “Dia Nacional da Umbanda”. A data foi oficialmente instituída pela presidenta da República, Dilma Rousseff, através da Lei 12.644, de 16 de maio de 2012. Em 15/05/2014 foi lançado pelo Correios um selo em homenagem a Umbanda.

Busca-se para o ano de 2017 constituir um fórum democrático de relacionamento com os Umbandistas, propondo uma comunicação de duas vias, mas que no primeiro momento entende-se seja destinado a ouvir os Umbandistas, e, dessa forma, saber o que esperam de uma federação, para que se possa, efetivamente, fazer parte do dia-a-dia dos milhares de templos, seus dirigentes, médiuns e frequentadores.

A partir dessa constituição, dar um norte para o futuro da Umbanda, evitando utilização do seu nome em atividades realizadas por aproveitadores da Fé das pessoas, que realizam “trabalhos” que ferem os princípios morais, éticos, cármicos e o livre-arbítrio, além de todos os princípios religiosos da Umbanda. Esse deve ser o primeiro passo a ser dado contra o preconceito e a discriminação.

Acredita-se que se deve ter a preocupação com a Umbanda que será deixada para as gerações futuras de Umbandistas, se essa que é alvo de discriminação e preconceito, ou uma religião que as pessoas possam assumir sem o medo de represálias e perseguição.

Parabéns FUEP!

Saravá Umbanda! Umbanda Saravá!

Compartilhar