2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná

Saravá Umbandistas do Paraná

No ano de 2012 a FUEP e os Templos associados realizaram o 3° Seminário “Cultura e Cidadania Umbandista”, para a apresentação da “Carta Magna da Umbanda”, proposta do MPU – Movimento Político Umbandista que tinha como objetivo discuti-la num Congresso Nacional da Umbanda, proposto para ser realizado em 2014 em São Paulo, que acabou sendo postergado para 2021. Contou-se com a presença de mais de 150 participantes, entre Médiuns e Dirigentes de Terreiros.

O expositor foi o Pai Ortiz Bello, dirigente do Templo Portais de Umbanda de São Paulo, coordenador do MPU, com o apoio do Pai Vladmir de Oxóssi, dirigente do Templo de Umbanda Pai Oxalá e Caboclo Pena Azul e de Silvia Correa, secretária do MPU.

Após a apresentação do projeto, abriu-se para intervenções dos participantes, buscando o esclarecimento dos pontos mais polêmicos da Carta Magna.

As intervenções levantaram a necessidade de maior aprofundamento das informações, no sentido de aprimorar a “Carta Magna da Umbanda”, notadamente no seu aspecto inclusivo, na legitimidade/representatividade do grupo que se propõe e realizar o Congresso e aprovar a Carta Magna e a necessidade de exclusão de alguns superlativos, visando aprimorar o seu conteúdo.

Assim, foi proposto e aprovado pelos participantes a realização de fóruns locais, para a discussão dos pontos polêmicos, estabelecendo-se um calendário com diversas atividades, das quais foi realizada a reunião ampliada do Conselho Deliberativo em Set/2013, que referendou as decisões do 3° Seminário. Os fóruns, em função das festas de Natal e Ano Novo e dos recessos de final/início de ano nos Templos, acabaram não acontecendo.

Então, nessa reunião do Conselho Deliberativo da FUEP, foi aprovado realizar o 2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná, em maio/2014, em data próxima ao 46° aniversário da FUEP (25/05), o que não foi realizado.

Daquela data para hoje, mesmo sem a realização das atividades propostas em nosso estado, a discussão prosperou e a “Carta Magna da Umbanda” tornou-se uma realidade, a cada dia vem sendo mais conhecida e reconhecida por Umbandistas brasileiros, tendo sido realizado o seu lançamento em vários eventos e solenidades em cidades dos estados do nosso país, notadamente em São Paulo, e até no exterior.

A Direção da FUEP compreende que existe a necessidade grave e urgente de caracterizar a Umbanda, de modo a evitar que em seu nome sejam erigidas verdadeiras arapucas, onde são realizados os mais diversos trabalhos que atentam contra os valores morais, éticos e até legais, e para isso são cobrados valores significativos que beiram a extorsão.

Entendendo também que existe muita controvérsia, com relação a codificar a Umbanda, o que grosso modo, prejudicaria a nossa maior riqueza, que é a diversidade de culto, o que propicia aos Médiuns Umbandistas encontrar o Terreiro que se adeque as suas aspirações, a continuidade das discussões propostas em 2012 não foram realizadas, não tendo sido cumprido o calendário aprovado pelos Umbandistas presentes naquela oportunidade.

A rigor, segundo a apresentação da Carta Magna da Umbanda, ela é um documento que legitima a Umbanda como religião, apresentando os princípios éticos que já são seguidos e praticados nos terreiros de Umbanda. Não é uma codificação, o que é rechaçado por todos, pois codificar parece ter um sentido limitante.

Assim, diante de uma realidade concreta, a Carta Magna da Umbanda, existe!

Acredita-se que é necessário conhecer e discutir o texto final, com esse intuito, a Direção da FUEP sente-se na obrigação de propiciar a oportunidade desse conhecimento. Somente isso, propiciar o conhecimento para que, após, cada Terreiro, Dirigente e as suas respectivas correntes mediúnicas possam deliberar sobre o seu conteúdo e aplicação ou não nos Terreiros.

É de se frisar que a Direção da FUEP não defende qualquer codificação limitante aos Terreiros, e a prova disso é a Alteração Estatutária realizada em 2015 que ampliou a possibilidade de associação, como pode ser visto no estatuto Social, Capítulo II, Dos Objetivos:

Art. 3º – A FUEP tem a sua atuação voltada para o alcance dos seguintes objetivos:

I – Representar cultural, institucional, política e socialmente os Povos e as Comunidades Tradicionais Afro-brasileiras, Brasileiro-Afros e Indígenas, e outros povos tradicionais onde atue, seus dirigentes, frequentadores, simpatizantes e as comunidades por eles constituídas, associados nos termos do presente Estatuto Social, protegendo as suas tradições, fomentando a união destes e o seu desenvolvimento cultural, educacional e social, na mais estreita harmonia e fraternidade, promovendo a cultura da Paz, resguardando e respeitando a individualidade, a autodeterminação e a diversidade característica de cada um, dando-lhes visibilidade e buscando a sua integração plena a sociedade brasileira;

A partir do Iº Centenário, a Umbanda se consolidou como religião e apresenta um crescimento tanto nos grandes centros, quanto no interior do estado, o que nos coloca o desafio de crescer com qualidade, quebrando o desconhecimento que gera discriminação e preconceito da sociedade que nos chama de macumbeiros, porque no senso comum fazemos “macumbas”, o que, ainda no senso comum, se assemelha a alguma espécie de “feitiçaria”.

Portanto, a Carta Magna da Umbanda é um documento que surgiu a partir de um movimento nacional dos Umbandistas na busca do reconhecimento e da legitimação, propondo a unidade, a partir das práticas comuns, que já são adotadas nos terreiros, aglutinadas na forma de um livro, que centraliza essas práticas em benefício da Umbanda e dos seus fiéis e simpatizantes.

Assim, entendendo que a Carta Magna da Umbanda pode ajudar na diminuição do preconceito e da discriminação que ainda sofremos, propomos para o ano de 2018, ano do cinquentenário da FUEP, realizar o 2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná, em local e data (provável 25, 26 e 27 de maio) a ser oportunamente informada, iniciando com uma sessão solene na sexta-feira (25/05) à noite na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná e sessão plenária durante o sábado (26/05), visando discutir e esclarecer os pontos da Carta Magna da Umbanda, retomando as discussões iniciadas no 3° Seminário “Cultura e Cidadania Umbandista” em 2013.

Para que as discussões não se prolonguem em demasia, será adotado um Regimento Interno para a Plenária Deliberativa que privilegie as intervenções de todos os presentes (que queiram intervir), limitando o tempo e a quantidade de intervenções por participante. No mesmo Regimento estabeleceremos o formato da plenária deliberativa e a condição a ser atingida pela proposta, para constar no documento final do 2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná, que ao fim será a contribuição dos Umbandistas do nosso estado ao Congresso Nacional da Umbanda, proposto inicialmente para ser realizado em 2021, que se propõe a rediscutir a Carta Magna da Umbanda, para reavaliação e aprimoramentos.

Maiores esclarecimentos e o texto final da Carta Magna da Umbanda poderão ser obtidas através do site www.fuep.org.br.

Objetivando atingir o maior número de umbandistas, enviaremos e-mails periódicos com as contribuições, iniciando pelo texto final atualizado em 2017 da “Carta Magna da Umbanda” e alguns textos de esclarecimento. As contribuições dos Umbandistas, para serem divulgadas, deverão ser enviadas através do e-mail umbanda.paraná@gmail.com, com a devida identificação do remetente. Além disso, pede-se que cada um que receber as informações através do e-mail, repasse para as suas listas de Médiuns Umbandistas, para que possamos atingir a representatividade almejada.

Por último, deve-se entender a FUEP como a promotora do 2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná, as deliberações serão tomadas pelos Umbandistas presentes, embora os membros da Direção (Conselhos Deliberativo e Fiscal e Direção Executiva) possam também participar, enquanto Umbandistas e defender a sua posição pessoal. Para que não haja suspeição, se pretende convidar alguém com notório conhecimento em condução de mesas congressuais para a direção (coordenação e secretaria) dos trabalhos.

2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná

25, 26 e 27 de maio de 2018 – Local a ser determinado

25/05/2018 – Sexta-feira – 18:00 h

– Sessão Solene na Assembleia Legislativa do Estado do Paraná em homenagem ao 50° ano de fundação da FUEP (25/05/1968)

– Entrega do Prêmio Fernando Macedo Guimarães

O prêmio (trata-se de um diploma) é uma homenagem da FUEP aquelas pessoas (Umbandistas ou não) que prestaram relevante contribuição para Umbanda, dentre as quais as pessoas (dirigentes e médiuns) que ajudaram a organizar o 1° Congresso, realizado em 1998.

– Abertura solene do 2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná

26/05/2018 – Sábado – Local a ser determinado – 08:30 h às 17:30 h

– Plenária Deliberativa sobre a “Carta Magna da Umbanda”
– Encerramento do 2° Congresso Umbandista do Estado do Paraná

27/05/2018 – Domingo – Local a ser determinado – 14:00 h

– 7º Festival Paranaense de Curimbas

– Valendo vaga para representar o Paraná no 14º Prêmio Atabaques de Ouro em 2018.