Carta Compromisso com a Umbanda, Candomblé e Demais Religiões de Matriz Africana

Por

Os fiéis, simpatizantes e os templos das Religiões de Matriz Africana costumam ser lembrados em épocas de eleições por candidatos a cargos eletivos que visitam os templos e insistindo em se afirmar simpatizantes, pedem os nossos votos.

Passadas as eleições, qualquer que seja o resultado, se esquecem daqueles a quem foram solicitar ajuda. Outros, nem se dão ao trabalho de pedir o nosso voto, muitas vezes, em função das relações escusas que fazem com as igrejas eletrônicas, estabelecendo acordos que põem em risco a laicidade do estado brasileiro.

Fomos criados ouvindo a frase cunhada pelo “senso comum” de que religião e política, não se discute. E, só agora entendemos que essa afirmativa só servia para nós, todas as outras religiões discutiram, entraram na política, participam de partidos e compartilham o poder. Enquanto para nós resta o preconceito e a discriminação!

Entretanto, encontramo-nos num momento propício para assumir um novo posicionamento coletivo, enquanto fiéis e simpatizantes das Religiões de Matriz Africana, qualificando o nosso apoio, condicionando-o à assunção de compromissos escritos, assinados e registrados em cartório de títulos e documentos, por todos aqueles que quiserem pedir o nosso apoio eleitoral.

Assim, com um documento com validade legal, mas principalmente moral, poderemos, mais tarde, utilizar esse instrumento para o encaminhamento das nossas demandas e reivindicações.

Temos que ter claro que não podemos mais deixar que outros decidam politicamente por nós, precisamos ser os autores e os protagonistas da nossa história, assumindo o papel principal, resgatando o legado religioso ancestral e o importante papel social desempenhado pelos templos das Religiões de Matriz Africana, desenvolvendo ações caritativas, sociais, educacionais e culturais, buscando dar-lhes a devida visibilidade.

Acreditamos que temos muito a ensinar, desde a igualdade fraterna vivenciada nos templos, onde, para a espiritualidade somos todos iguais, valendo mais o “SER” do que o “TER”. Dos Guias de Luz trazemos as lições de humildade e sabedoria dos Pretos e Pretas Velhas, da força e perseverança dos Caboclos e Caboclas, da ingenuidade e alegria dos Erês.

Portanto, devemos, com toda a serenidade, ajudar a construir os caminhos de igualdade, paz e fraternidade para toda a civilização humana no planeta, pensando e agindo coletivamente, com a certeza de deixarmos um mundo melhor para as gerações futuras.

Para materializar esse novo posicionamento, propusemos a assinatura de uma “Carta Compromisso com a Umbanda, Candomblé e demais Religiões de Matriz Africana” aos políticos com os quais temos maior proximidade, onde constam reivindicações essenciais para legitimação das Religiões de Matriz Africana, ajudando a diminuição do preconceito e da discriminação que sofremos diariamente.

A redação inicial da “Carta Compromisso” foi feita em conjunto pelo Pai André de Xangô do Terreiro de Umbanda Tio Antônio, pelo Pai Jorge Kibanazambi do Ilê Asé Ayra Kiniba, e, logo em seguida discutida com outras lideranças espiritualistas da Umbanda, do Candomblé e de outras Religiões de Matriz Africana, dando origem ao texto final da mesma.

Responderam positivamente, dois candidatos, que demonstraram ter o maior interesse em assumir as demandas e reivindicações do Povo de Terreiro. São eles, o candidato a Deputado Federal, Denílson Pestana da Costa que postula o seu primeiro mandato e o Deputado Estadual Péricles de Holleben Mello (que já é deputado estadual, concorrendo à reeleição).

Assim, tendo ambos os candidatos concordado com a redação final, realizamos um evento com as principais lideranças da Umbanda, Candomblé e demais Religiões de Matriz Africana para a assinatura da “Carta Compromisso”, registrando o compromisso assumido pelos candidatos.

O evento que chamamos de “Kizomba das Religiões de Matriz Africana do Estado do Paraná”, foi realizado no dia 26/08, ás 19:00 horas, no Espaço Cultural do Cazuá do C.H.A, em promoção conjunta da FUEP – Federação Umbandista do Estado do Paraná e do Fórum Paranaense das Religiões de Matriz Africana, da qual participaram duzentos Pais, Mães de Santo e outros dirigentes.

Obviamente, os compromissos assumidos só poderão ser cumpridos, caso os candidatos que assinaram o documento sejam eleitos, assim, para cumprir a nossa parte do acordo, precisamos defender o voto do “Povo de Terreiro” nos candidatos que “ousaram” comprometer-se com as nossas religiões.

Denilson Pestana – Deputado Federal – 1312

Péricles de Mello – Deputado Estadual – 13115

Compartilhar