6º Festival – 2018

6° Festival Paranaense de Curimbas

O 6° Festival Paranaense de Curimbas atingiu os seus objetivos, apresentou uma mostra com novas cantigas de Umbanda e indicou o representante do PR no 14º Prêmio Atabaque de Ouro.

A Curimba vencedora foi da Tenda de Umbanda São Jorge Guerreiro de Umbanda que apresentou a cantiga “Força de Oxum”, a Tenda festejou os seus 60 anos em 2018 e é comandada pela Mãe Mara de Ogum. Destacamos um pedaço da letra que diz: “E sua força na natureza é a cachoeira transformada em rio…

Aliás a força de Oxum estava presente em todo o festival, desde a decoração do palco que homenageou, respeitando a tradição estabelecida desde o primeiro festival, que remete a última vencedora, a Curimba da TUFOY, do Pai Edson de Oyá que venceu o 5º Festival Paranaense de Curimbas com a cantiga “OXUM: A GUERREIRA DO AMOR”, tornando-se a 1ª. bi-campeã dos festivais do PR.

A campeã geral, além do troféu de melhor cantiga, levou uma nova premiação, o Troféu Orixá Bazar, de posse transitória, até o próximo festival. A posse definitiva será da Curimba que vencer 3 vezes seguidas ou 5 alternadas.

Contamos com o patrocínio das Lojas Orixá Bazar – Pingo de Ouro, o apoio da Fé e Magia Personalizados e Ponto Firmado que participaram expondo os seus produtos, do Buffet Madrid e do CONPAZ/PR. Além desses, é importante citar o Grupo Tambores do Paraná que contribuiu de forma marcante na realização do evento. Não se pode esquecer também da belíssima apresentação da Curimba do Terreiro de Umbanda Vovó Cambinda, que com apenas 6 meses de funcionamento já está participando dos festivais, nosso maior obrigado a Mãe Lu e seus filhos que não mediram esforços para participar.

Nas saudações tanto o Pai Jimmy quanto o pai Anthony salientaram o desafio que foi realizar o festival a “toque de caixa” para ter um representante legitimado pela classificação no festival.

Lembraram também a doação de quase 100 kg de alimentos não perecíveis que serão repassados aos índios da Tribo Araça-i de Piraquara que passam por aguda falta de recursos, até para a alimentação, isso reafirma o nosso lado Caboclo. E a importância da presença do público e das Curimbas concorrentes, que são a razão de existir o festival.

Além deles, tivemos a participação de Tony Pura Raiz e seu Grupo de Samba e de Suêzi Nogueira, bi-campeã do Prêmio Atabaque de Ouro junto com a Curimba do Terreiro Tio Antônio, que além da participação no júri nos brindou com uma apresentação especial. E a Curimba do Terreiro de Umbanda Vovó Cambinda que apesar de existir há apenas 6 meses participou com uma brilhante apresentação.

Participaram do júri o Professor Doutor Edwin Ricardo Pitre Vásquez, Vice-Coordenador do Curso de Música/Artes UFPR; o Babalorixá Flávio Maciel, Dirigente Espiritual do Centro Espírita Ogum Marinheiro; a Ialorixá Isabel Cristina Gonçalves, Dirigente do Ilê Asé Iba Omi Osun; Luís Omar Saboia, coordenador do Grupo Espiritualista Oásis de Luz, do Grupo de Lideranças Espiritualistas pelas Práticas da Paz e Cura Planetária e da URI – Iniciativa das Religiões Unidas no nosso estado, além de Suezi Nogueira e do Pai Jimmy, representando a direção da FUEP.